preparativos

Ontem, no QG da Cervejaria Júpiter para buscar a Tânger, lançamento da marca que será servida no sábado. A Tânger é uma witbier, segundo o AllBeers “com 4% de teor alcoólico, 25 IBUs (Unidade de Amargor) e feita com os lúpulos Styrian Goldings, Saaz e Polaris“.

Como as cervejas da Júpiter não são pasteurizadas, saiu da geladeira e já foi para a geladeira. Isso serve para manter a boa qualidade do produto, como aromas e sabores. Ou seja, isso que vc vê na foto são caixas vazias, hehe.

Preparem-se! [inscrições] [saiba mais]

5 de abril: “Como Cerveja para Chocolate”

No dia 5 de abril, 16h, o encontro da Hildegarda será n’oGangorra, na Vila Madalena, com o tema “Como Cerveja para Chocolate”.

. Aproveitando o clima gerado pela reprodução em série do Coelhinho da Páscoa e as caverninhas de papel celofane nos supermercados, traremos algumas cervejas que harmonizam lindamente com chocolates. Mais uma excelente desculpa para enchermos os copos e batermos papo. Continuar lendo

encontro de março: mulheres e cervejas

No encontro de março tivemos a casa cheia. Ocupamos todas as mesas e cadeiras do Hussardos Clube Literário, incluindo o famoso sofá de veludo vermelho. As presenças da Sofia Guimarães e das Lupulinas foram fundamentais para um final de tarde agradável, de opiniões francas e copos cheios. Na plateia, poetas, escritores, pessoal da TI, historiadores, advogados, curiosos e até quem trabalhe com o ramo cervejeiro.

 

Continuar lendo

encontro de março!

Encontro discute o papel das mulheres na produção cervejeira

.

O encontro da Hildegarda no mês de março (22/03) não poderia ter outro tema: mulheres e cervejas! As convidadas especiais são Cilmara Bedaque e Vange Leonel, que mantêm o ótimo blog Lupulinas.

A ideia é discutir como as mulheres, de detentoras históricas da produção cervejeira, passaram a meras coadjuvantes e ainda alvo de propagandas. O modo pelo qual a produção artesanal lida com o assunto também será comentado.

Continuar lendo

fabricando lager em casa

No encontro de sábado agora, convidamos a Sofia Guimarães para levar a lager que fabrica em casa para ser um dos estilos que degustaremos. É fundamental termos “cerveja de panela” nos encontros para incentivar outros a fazerem e também entenderem melhor processos criativos. Os outros estilos serão brasileiras bem interessantes, hum… (percebeu a animação aqui?).

[Ainda no encontro de sábado, teremos a presença ilustríssima & ilustradíssima das Lupulinas – Cilmara Bedaque e Vange Leonel. Elas mantém blog muito interessante sobre cerveja. Você pode ler a cobertura delas do Festival da Cerveja em Blumenau, por exemplo]

Continuar lendo

como foi a nossa segunda reunião

A segunda reunião foi ruidosa. Nem tanto por nossa parte, acredite!, mas a Editora Patuá completou 3 anos de existência – dessa maneira, enquanto nos concentrávamos experimentando cervejas na sala de oficinas do Hussardos Clube Literário, o salão principal era de clamores de pessoas se abraçando, poemas sendo ditos, livros folheados e bons amigos se reencontrando. Ruído mais do que propício.

O tema pré-carnavalesco era “AMARGO, pq a vida já é doce demais” (leia aqui a convocação).

A apresentação dxs participantes dessa rodada foi com a pergunta: “você se recorda quando foi a primeira vez em que bebeu cerveja?”. Muitos não se lembravam. Entretanto, uma se recordava da primeira Guiness e outro da ida à Inglaterra, quando tomou uma Bitter. Amargamente notadas. Continuar lendo